Dezembro laranja e Dezembro vermelho



Outubro Rosa é um mês dedicado ao diagnóstico e prevenção do câncer de mama. Novembro Azul busca incentivar os homens a realizar exames periódicos para diagnosticar precocemente o câncer de próstata. Mas dezembro é um mês em que ocorrem, paralelamente, duas campanhas de conscientização: a cor Laranja identifica a campanha em prol do câncer de pele e a Vermelha representa a luta contra a AIDS.


O que é o Dezembro Laranja?


Esta é uma campanha da Sociedade Brasileira de Dermatologia, que foi criada em 2013, e fortalece a importância da informação e da educação para a prevenção da doença. Em 2020, os porta-vozes da ação são crianças e adolescentes que irão abordar o tema de forma didática e descomplicada, mostrando quão importante é considerar as medidas de fotoproteção desde a infância.


De acordo com o INCA (Instituto Nacional do Câncer), neste ano, a doença corresponde a 27% de todos os tumores malignos do país. Por ano, surgem cerca de 177 mil novos casos de carcinomas basocelular e espinocelular, além de mais de 8 mil casos de melanoma.


A exposição exagerada e desprotegida ao longo da vida, bem como episódios de queimadura solar, são os principais fatores de risco para o câncer de pele. É preciso ficar atento a pintas que crescem, manchas que aumentam, sinais que se modificam ou feridas que não cicatrizam.


Além disso, é importante lembrar da necessidade de cuidar da pele a partir de hábitos de fotoproteção que incluem o uso de filtro solar com FPS superior a 30 diariamente, óculos de sol, bonés ou chapéus, preferir a sombra e evitar se expor ao sol entre 9h e 15h.


O que é o Dezembro Vermelho?


1º de dezembro é o Dia Mundial de Luta Contra a AIDS. A data foi estabelecida internacionalmente em 1987, por decisão da Assembleia Mundial da Saúde com apoio da Organização das Nações Unidas (ONU). No Brasil, o Ministério da Saúde adotou a data apenas um ano depois.


O dia foi prolongado para o mês todo e se tornou Dezembro Vermelho, que tem o objetivo de conscientizar e combater a doença, bem como reforçar a solidariedade, a tolerância, a compaixão e compreensão com portadores de AIDS.


Ainda hoje, muitas pessoas acreditam que HIV e AIDS são a mesma coisa, mas esta é uma percepção um tanto quanto equivocada. A AIDS é um efeito colateral causado pelo vírus HIV. Por falta de informação por parte dos pacientes e o desconhecimento de tratamentos, a doença fez muitas vítimas nos anos 1980. Atualmente, nem todo paciente com HIV chega a desenvolver AIDS.


O Sistema Único de Saúde (SUS) possui um programa voltado para o acolhimento de pessoas com HIV. De acordo com o Governo, esse processo é importante para que as pessoas tirem dúvidas e abre espaço para que elas falem sobre seus medos e preocupações.


Fique atento aos sintomas que seu corpo apresenta. O diagnóstico precoce é essencial em ambas as doenças citadas aqui. E, se precisar, procure um médico.